sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

O tempo voou

E, de repente, Dezembro dá suas caras, e como sempre, só percebo isso a hora que noto as movimentações de Natal. Vi que tem uns bons meses que não apareço, e claro, a falta de tempo para tudo, aliada a um permanente cansaço, foram determinantes para sumir daqui. Bem, agora cá estou, já pronta para desejar Boas Festas, pronta para um bom descanso, pronta para as férias que pareciam nunca chegar. Tantas coisas foram diferentes neste ano, boas e ruins, e agora que o carrossel maluco começa a desacelerar, ainda me sinto tonta, sem saber muito bem se estou devendo alguma tarefa, ou se devo aguardar mais alguma coisa nova ocorrer. No entanto, sou grata por tudo, na esperança que o próximo ano seja mais leve.

Ao longo deste ano, tomei algumas decisões com relação aos destinos de minha arte, que acabou, por força maior, ficando à parte de outras coisas que são mais relevantes ao momento que vivemos. Mas, de um jeito ou de outro, sempre inserida em minha vida, e na vida de outros que me acompanham já há anos. Com tristeza, mas lucidez, fechei meu espaço na loja a sua Kara, e sou agradecida pelo tempo que passei lá, pois fiz amizades importantes, e aprendi várias coisas diferentes. Ao mesmo tempo, uma nova parceria se inseriu de maneira modesta, mas consistente, e que de maneira inusitada e maravilhosa, me faz colocar em prática idéias malucas nas quais posso inserir a tecelagem. Começamos com cachecóis (lembram da aventura? está descrita aqui em alguns posts), passamos a tapetes, almofadas, caderninhos...e praticamente tudo o que é posto à mesa da Pri Souza, é degustado rapidamente, sem reservas. Tem sido uma delícia participar de sua própria aventura pessoal frente ao Vilarejo Maria Fiandeira, ao qual desejo nada menos do que vida longa e muito, mas muito sucesso.

As idéias para um curso online de tecelagem ainda estão em alta, mas somente agora, com essa pausa, será possível organizar devidamente gravações, edições, plataforma de ensino, etc. Ainda preciso me especializar nas famosas "lives", antes de sair cobrando por aí. Mas em 2018, a coisa vai engrenar finalmente, e espero fazer justiça às expectativas dos "fãs".

Continuo lecionando, e esperando o que mais vai ocorrer de novidades no setor. Somente quando o novo ano surgir, é que poderei saber com certeza como as coisas ocorrerão. Lecionar é parte de mim, e o será pelo resto da vida, disso tenho certeza.

E assim me despedindo por ora, deixo aqui o mais importante: o aviso de uma nova aula no canal. Como uma pré-estréia, é uma aula completa, simples, mas que vai além do que tenho feito normalmente. Espero que apreciem e deixem seus comentários.


Abraços a todos, e até o próximo ano, com mais tecelagem!

sábado, 2 de setembro de 2017

Pequena enquete - nova aula no canal

Naturalmente perceberam que o mês de agosto passou em brancas nuvens por aqui. Lógico, as aulas voltaram, e com elas compromissos acadêmicos inadiáveis. Mas agora, em pleno Setembro, as águas começam a baixar e posso retomar atividades superprazeirosas, que, além de tecer, envolvem ensinar a tecer. Quem acompanha o canal no YouTube sabe que há algumas aulinhas lá, coisa simples, mas que foram caindo no gosto da galera tecelã, e agora, após tanto tempo, preparo-me para um salto além - comercialização de aulas online. Para tanto, preciso do seu retorno, saber seus desejos/necessidades, e para isso, vou lançar mais uma aula, gratuita, lá no meu canal, mas agora quero saber de você - o que quer aprender? o que acha que posso te ensinar? clique no link a seguir e responda o formulário - uma pergunta só, que vai te tomar uns segundos somente - e diga-me: o que quer ver?

https://docs.google.com/forms/d/1mthf4w_B8OWrzSU8orZOY2VsuXWPlTeRYZqWtOK97Ao/edit?usp=sharing

Espero todos vocês!

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Como misturar cores ( e não ficar furiosa com o resultado) - por Tien Chiu

Tien Chiu é uma tecelã de ascendência chinesa, mas que vive nos Estados Unidos (acho que é de fato americana), e que tem um website recentemente lançado, muito interessante para quem quer aprender ou aprimorar a utilização da mistura de cores na execução de peças tecidas à mão. Pessoalmente, acho que vale para qualquer arte onde cores diferentes sejam utilizadas. Sendo assim, posto aqui o link para o site e o assunto em questão, mas vale a pena dar uma olhada no geral: muitas coisas interessantes, além de um pequeno e-book, que pode ser baixado de graça.


          https://www.warpandweave.com/bright-colors-weaving-into-mud-fix-it/#comment-289




Até a próxima!

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Aventura em 10 cachecóis (9 e 10)

E, por fim, a tal aventura chegou ao fim na semana passada, com a finalização dos cachecóis 9 e 10. Foi curiosa a sensação doce e amarga que marcou o dobrar das peças e organização na caixa que os levou até seu destino. Mas, vamos aos queridos:


Nº 9 - tecido em acrílico (Batik, da Circulo no urdume e Folia, Circulo, na trama), em pente 3, foi daquelas delícias que só fazendo mesmo, para entender. Claro que as lembranças iriam surgir diante de tantas cores, mas a recordação mais vívida foi de um líquido doce que sempre tinha em casa - a famosa Groselha Vitaminada Milani. Nunca faltava, pois era só misturar à água e pronto, um suco delicioso pronto em segundos. A musiquinha do comercial não saiu da minha cabeça, e sei de cor até hoje. Óbvio que com a ajuda valiosa do YouTube, achar o comercial foi super fácil - e não deixaria de postar aqui, pois foi uma das coisas mais gostosas que marcaram minha infância:










Nº 10 - Quis terminar a série ainda com uma vibe colorida. Este aqui foi tecido com um fio de mistura acrílico/poliamida da Pingoin no urdume, e Folia da Círculo altenado com um fio fantasia flamê, quase da cor do urdume, que por ser irregular, ajudou a dar este desenho ondulado às listras. A lembrança que me veio à mente foi jujubas - isso mesmo. Não aquelas balas de goma açucaradas, mas aquelas que tinham em várias cores, incluindo o azul que aparece tão evidente nesta peça. Deliciosas, jujubas me acompanharam durante toda a minha vida. Agora, com quase 50 anos, achei por bem diminuir um pouco...rs...


E assim, fecham-se as cortinas. Devo dizer que não foi fácil me despedir das peças. Lembro-me de colocar uma ao lado da outra para uma foto final, que está em minha página no Facebook, e passando os olhos por todas, as lembranças que daí surgiram me aqueceram ternamente. Sons, cheiros e cores de uma época mágica, na qual tudo era possível - sim, porque quando somos crianças, a inocência nos blinda do cinismo do mundo, e imaginação é a palavra de ordem. Ao nos tornarmos adultos, claro, tudo muda, mas quando existem oportunidades como essa, para nos lembrarmos de quem éramos, dos nossos sonhos, devemos nos deixar levar e por alguns minutos, permitir que aquela criança dentro de nós saia para brincar. Sou grata por este projeto, e que venham outros, muitos outros...

Até a próxima!

domingo, 9 de julho de 2017

Aventura em 10 cachecóis (7 e 8)

E, por fim, estamos nos aproximando do final desta aventura, tão colorida e tão cheia de significados, para mim. Ontem, finalizei o último cachecol da série, que juntamente com o nº 9, seguem esticadinhos secando ao sol. Assim, esse é nosso penúltimo post sobre estes dias de "trabalho"...





O número 7 foi tecido com um urdume que achei no meio de tantos fios, viscose e microfibra, infelizmente descontinuado. O azul clarinho deu-me a idéia de acrescentar como trama um fio da Círculo chamado Batik, ótimo, acrílico. A mistura dos dois materiais produziu uma peça muito macia, que foi tecida em pente 4. As lembranças evocadas aqui foram de algodão-doce; quando criança, eu simplesmente adorava e achava o máximo a quantidade de cores possíveis. Era uma festa quando podíamos ir a locais onde era vendido - diversão na certa! mais legal ainda era ver a máquina de algodão-doce funcionar - mágica!


Número 8. Tecido em acrílico Cristal e Fio Folia, da Círculo, um acrílico mais grosso e bem colorido, em pente 3. Achei um fio azul bic, acrílico/30 % lã, super macio (Lã Seda, da Pingouin). Bingo, combinação perfeita. Ao tecer, e não sei bem o porquê, sabores daquela bala Mentos de fruta vieram à minha mente. A embalagem atual é meio diferente, mas me lembro perfeitamente de comer (muitos) pacotes desta bala, simplesmente deliciosa. Aliás, minha preferida até hoje...

E assim, amigos, despeço-me por hoje, enquanto 9 e 10 aguardam-me para sua finalização. Na semana que vem, papos de groselha vitaminada e jujuba serão a temática...rs...

Até lá!


quinta-feira, 6 de julho de 2017

Aventura em 10 cachecóis (5 e 6)

Os cachecóis 5 e 6 de nossa série vieram trazendo lembranças das brincadeiras de infância, misturadas às refeições na casa da minha avó. Como sempre, é engraçado e quase catártico, como determinadas cores e texturas produzem sensações e recordações tão potentes, que é como um filme passando em frente aos olhos..


O cachecol nº 5 foi tecido com urdume em fio Cristal, e trama com fio de acrílico com 30 % de lã, o que aumenta a maciez significativamente, e por conta desse fio, um pouco mais grosso, foi tecido em pente 3. Lembrei-me daquelas brincadeiras de criança que (acho) já não se usam mais: amarelinha, pular cerca, corda...meu Deus, o quanto brinquei disso. Ao tecer esse cachecol, lembrei-me de minha escola do primário, onde em um determinado momento de um ano escolar, havia uns materiais de construção guardados em um canto, ao qual tivemos acesso na hora do recreio. No meio da bagunça, haviam arames encapados - aqueles que servem para fazer varal, e que tem várias cores - e achamos um bem comprido, azul. Rapidamente, já demos um bom uso àquele arame, que nos serviu de corda para pular - e assim, ficamos por bem uns 20 minutos, nos divertindo. Essa lembrança me veio de maneira tão forte que resolvi acrescentá-la no urdume - e os fios azuis então fazem essa homenagem mais do que singela à uma época tão inocente, onde nós, alunos de escola estadual (excelente, por sinal), nos divertíamos com tão pouco, e nem mesmo sonhávamos com os tablets e smartphones que viriam tantos anos depois...





O cachecol de nº 6 foi tecido em cores verdes bem claras, com alguns toques de vermelho. Lembrou-me dos almoços na casa da minha avó, onde lembro-me, com tanta clareza, a quantidade de saladas que havia. Na falta de travessas, minha avó punha a salada, de tudo quanto possa imaginar, mas principalmente alface e tomate, em uma bacia até grandinha - isso mesmo, era MUITA  gente junta...rs..... Assim, o verdinho claro da alfate e o vermelhinho do tomate estão representados nessa peça...

E é com prazer que informo aos distintos navegantes que ao escrever, este post, minha saga está quase terminada - estou executando o cachecol de nº 9, enquanto que 7 e 8 estão terminando de secar. Em breve, novas lembranças!

Até lá!

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Aventura em 10 cachecóis (3 e 4)

Avançando um pouquinho mais depressa, venho apresentar os cachecóis 3 e 4 de minha aventura, enquanto que 5 e 6 estão em processo de lavagem. Devo dizer que este pequeno lote de peças está sendo primordial a mim, por vários motivos: forço-me a pensar em várias e várias combinações de cores/fios, tendo em mente que o público-alvo é o infantil, e assim, há de se fugir das cores mais tradicionais do inverno; meu estoque é realmente grande (mil carinhas de sorrisos), mas ainda não há muitas opções de fios macios. Tenho uma infinidade de algodão mercerizado e não mercerizado, e alguns bons acrílicos, mas outras misturas, tais como viscose/algodão, algodão/poliester, viscose/microfibra, enfim, fios especiais, são poucas as minhas opções, e para encontrar no mercado, também não há muitas nesta época do ano. Enfim, haja criatividade, e definitivamente, é uma fuga de minha zona de conforto. Mas o que mais tem me estimulado neste projeto é justamente o que cada combinação de cores/fios tem trazido à tona como lembranças. Em geral, sou bastante cirúrgica no quesito cores: tendo sempre a fazer as combinações mais harmoniosas, tradicionais, etc. Mas, ao longo da confecção destes pequenos cachecóis, obriguei-me a olhar fora da caixa e combinar elementos que tem dado bastante certo até agora - e quando isso ocorre, uma avalanche de imagens, cheiros e lembranças da infância tem me invadido a mente.




O nº 3 tem cores fortes, que me lembraram as laranjas e limões sempre constantes na casa de meus avós, assim como em minha casa, também. Aqui, o fio de acrílico em cor única, laranja (Cristal), foi misturada à trama com fio fantasia (flamê, Linea Italia), em pente 4. Esse fio, descontinuado infelizmente, tem a base verdinha, entremeado com outras cores, em uma mistura de poliester e poliamida.



O número 4 tem a base em verde água, com fio de viscose/microfibra, muito macio. A trama é mistura de 2 fios fantasia também Linea Italia, bastante alegres, que me lembraram do conjunto de plantas da minha avó. Sempre gostou de vasos, flores, folhagens - um jardim colorido.


E assim, sigo para os 4 últimos (conforme já disse, 5 e 6 já estão prontos). O que mais virá à mente? não sei. Mas estou ansiosa em descobrir.

Até a próxima!